quinta-feira, 14 de maio de 2009

Insônia

Não sei o que se passa,
Não sei o que me passa...
Talvez sozinha eu faça
uns versos na solidão.

No mundo do quarto,
no escuro,
nulo.
Quarto mudo
onde me desfaço.
Desfalco.

Talvez no colo
eu choro,
eu morro, renasço...
E gozo
no colo,
no membro.

Cedo não durmo.
No escuro eu espero.
E espero o dia raiar...
Raiar o sol de meio-dia.



Clareanna V. Santana, 07 de abril de 2009.
----------------------------------------------------------
“Foram as águas de março fechando o verão...”.
TOM JOBIM

Nenhum comentário: