sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O gole

O gole que se fez
pouco,
que se fez grande
na sede.

O gole olhando a rede,
o escuro.
O gole que brinda
a vida – você –
jamais esquecida.

O gole quente
pra aquecer a noite,
a solidão e o carinho.
O gole que se fez
Vazio.


Clareanna V. Santana, 20 de novembro de 2009.

Nenhum comentário: