segunda-feira, 30 de maio de 2011

Decalque

Nada como o fácil,

- tão fácil-
tão dócil seu abraço.
Nada como esse que flutua...

Nada como feito o elo
no quinto dos desejos
ou frio dos infernos.

Nada como aquilo que cala,
ou fala tocando...

Nada como o ódio,
decalque do ócio,
pra me ter na rua...

Nada como o tédio,
inverso, sozinho...

Nada como o ato...
o palco...
performance sua...
egoisticamente nua.



Clareanna V. Santana, 30 de maio de 2011

2 comentários:

Geanne Lima disse...

Adorei o blog: as cores, a escrita e a harmonia.

Mariane Neves disse...

adorei seu blog, e to seguindo, bjos