terça-feira, 16 de julho de 2013

Azedo




Queria dizer
mas segurou...
talvez nem era dizer
era agir...

Pareceu um vulcão que segurava para não explodir.

Mas queria falar
e se adiantou...
talvez nem queria ficar
mas ficou...

Pareceu uma versão daquilo que sempre quis fugir.

Mas foi na frente
e pensou...
talvez nem por aguentar
falou...


- Vá para o inferno!
Ríspido gritou.


Clareanna V. Santana, 16 de julho de 2013

domingo, 14 de julho de 2013

A água



Escondia-se
no silêncio dela,
aquela gala rala,
numa noite turva...

E perguntava:
Será que foi baba?
Ou será que foi chuva?



Clareanna Viveiros Santana 
João Pessoa, 07 de abril de 2008

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Nota




Na solidão
me desfaço
no relampejo
da ideia, pois
entre raios
e trovões
me traduzo
no
Anthropological blues.



Clareanna V. Santana, 03 de julho de 2013.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Poema de Meio Tempo


Papo reto,
direto,
com direitos
e sem direita...

Papo torto
Jura ao corpo
Fluidez moderna
Personalidade da massa...

Massa nada!
Anonymous...
E agora?

Se liga
gigante
que a sorte
é grande
e a fé
não faia...



Clareanna V. Santana, 01 de julho de 2013.