quarta-feira, 16 de abril de 2014

A Casa



A casa, quando eu calo,
ela fala.
A casa fala pelos livros
no escuro...

Ela fala,
enquanto ouço o seu silêncio
e escuto seu murmúrio.

A casa,
enquanto chove,
ela dorme
e ela ronca!

Derruba prantos...
Alimenta ideias.

Ela, quando eu durmo,
Vigia
a porta,
a rua,
a chuva.


Clareanna V. Santana, 16 de Abril de 2014.

domingo, 13 de abril de 2014

Na Varanda


Quem, na varanda, despeja e se joga
no campo de ervas daninhas e danadas?

Quem, na varanda, busca outro tempo,
num canto do mundo, paciência e perseverança?

Quem, na varanda, na porta de casa -
porque dentro não abre asas - desperdiça as coisas?

Essas coisas que, na varanda, atenta e reclama?
Na varanda que escreve, lê e mostra?

Pois só na varanda a trama se completa,
se alcança.




Clareanna V. Santana, 13 de Abril de 2012