terça-feira, 30 de junho de 2015

Antes que a poesia acabe

Antes que o vazio
consuma:
Assuma-me!

Antes que o vazio
mate:
Liberte-nos!

Antes que a poesia 
acabe:
Assuma-me,
Liberte-nos
e depois
Salve-se.


Clareanna V. Santana

sábado, 27 de junho de 2015

PARA CORES



Para tudo
quanto cores
cores afago
cores afeto

Para quanto
tudo cores
afago fato
não nego
me entrego

Para cores
tudo quanto
feliz cidade
de peito aberto

Cores tudo
cores flores
flores mudo
grito amores

Então colore
mundo
e não dores!



Clareanna V. Santana

Clareamente no Facebook

 Clareamente no Facebook. CLIQUE AQUI E SIGA!
Clareamente no Facebook
CLIQUE NA IMAGEM E SIGA!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Clare-Amma


 Da palavra construída,
Uma imagem travestida
De poesias coloridas.
Cor de letras,
Tintas frescas:
Nossas vidas.


Poesia: Clareanna V. Santana
Ilustração: Mariamma Fonseca

domingo, 21 de junho de 2015

A água


Escondia-se
no silêncio dela,
aquela gala rala,
numa noite turva…

E perguntava:
Será que foi baba?
Ou será que foi chuva?




Clareanna V. Santana

sábado, 20 de junho de 2015

Palavra Solta


A palavra quando pouca
Destrói o desejo
Quando fala
Acalma a alma
Quando grita
Acende a vingança
Destroída
Consumida
Maldita.


Clareanna V. Santana

sábado, 6 de junho de 2015

O consumo



Comem aqueles
que tudo
conseguem,
Que tudo
pagam.

Comem os alvoroçados...

Comem e consomem
aqueles que metem.
Comem os que sentem,
os que estão fora de si.

Comem aqueles
que nem se conhecem,
que riem,
vigiam,
protagonizam.

Comem os
performáticos,
alienados.

Comem as crianças!

Os dos 'zaps',
comem!
Comem as mulheres...
Comem os homens.

Com os olhos
Comem...
com sofrimento...
Com violência...

Comem os olhares
vibrantes.
Transeuntes.

Comem os que me comem!

E comem...
consomem...
E nem digerem.

Clareanna V. Santana
@Clareamente