sexta-feira, 17 de julho de 2015

A Busca



Ela, que tinta fresca
a vida,
relembra os perigos
da fala.

Ela, que roxo
queima, machuca,
mostra os anseios
da alma.

De tudo que faz sentido
nem tudo me traz água.
Da alma que busca o riso
nem tudo me faz calma.


Clareanna V. Santana, João Pessoa, 2015

Nenhum comentário: