quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Quando o Corpo for Eu



Quando meu coração for asa,
meu corpo será brasa
meu beijo fruta,
meu signo mistura.

Quando meu coração for círculo,
meus olhos lupas,
meu peito cama,
meus dedos rosas.

E enquanto
Ele for músculo…
Serei isso tudo,
Sem verso chulo,
Sem ato certo.

Clareanna V. Santana
@Clareamente

4 comentários:

Fabiano disse...

A poesia permite transcender o absurdo que é a vida. Viva a poesia, os poetas e poetisas!

Clareanna V. Santana disse...

Viva Fabinho!!!
Fico feliz que tenha gostado!

:)

Clareanna V. Santana disse...

Viva Fabinho!!!
Fico feliz que tenha gostado!

:)

Cátia Luciene Pinheiro de Viveiros Santana disse...

Imagino VC quando criança...
Imaginando e criando pensamentos, desenhos. Imagem que na minha mente será eterna.