sexta-feira, 6 de maio de 2016

Buceta


Pôs na boca
Como quem comia
seu alimento.

Beijou
Como quem matava
a sede.

A cada mordida
adormecia,
Friccionava
a pele,
derretia
na boca.

À um passo
da coxa
alimentava-se
de carne,
lubrificava-se
de pele.


Clareanna V. Santana
@clareamente