terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Ser [eu] quando fores [tu]



Ter
o que nunca foi dado
Pertencente a quem
nunca foi teu.


Gozar
a falta do sorriso
que madruga na memória.


Sentir
o vazio do sonho
Preenchido pela solidão
que lhe cabe.



Clareanna V. Santana
@Clareamente

Nenhum comentário: